Relato de um bração até a sua primeira vitória (by Menor)

Relato de Everton Menor sobre sua trajetória até a primeira vitória na Racelan ocorrida em 12/Abr/2015 com todos os méritos…

Foram 43 corridas oficiais da Racelan para conseguir o TOP1.

Graph

Permitam-me fazer um relato que vai do árduo início de um bração até à sua primeira vitória em corridas oficiais.

Tudo começou no dia 03/07/09 quando comprei o meu primeiro volante Momo Logitech, eu acreditava que o volante me tornaria um super piloto. Então, vieram alguns eventos como estes:

1º Capotagem:

https://youtu.be/X9ekb0GfTXI

1º Ultrapassagem usando volante:

https://youtu.be/zELYXCutiuI

De 2009 a 2012 só participei de corridas esporádicas no RFactor e no Race07, todas decepcionantes, puro amadorismo.

Em meados de 2012, eu me aventurei a participar do primeiro campeonato na GTR Brasil. Chegava a fazer mais de 300 voltas durante os treinos, mas não conseguia ao menos beliscar um 15º colocado na corrida. Não dominava ainda o setup, não dominava a pilotagem correta e muito menos a constância em corrida. Mesmo assim, ganhei alguma experiência, também foi bacana correr ao lado de pilotos profissionais (Barrichello, Cacá, Beto Monteiro, entre outros), mas depois de alguns desentendimentos, resolvi sair da GTR Brasil.

Período da GTR Brasil, levando volta do Thiago Almeida e do Monteiro.

https://youtu.be/duaNmqYburA?t=513

Não sei como encontrei a Racelan, consta minha entrada em julho de 2012, curiosamente eu ainda estava na GTR Brasil, mas só fui me apresentar na Racelan em setembro de 2012 e fui muito bem recebido pelo grupo, zoaram logo com meu sobrenome de início e claro que fizeram a grande pergunta para todo novato. Você é homossexual?

https://groups.google.com/forum/#!topic/brfactor/qB6T5xrl1TA

Tinha acabado de comprar o G27, estava pronto para começar uma nova tentativa no SimRacing e na primeira conversa com o grupo, conheci um site que adicionou muito conhecimento para fazer setup; para fazer curva direito; para economizar pneu, era uma aula de A a Z de como ser um piloto um pouco melhor. O finado site do Luis Carlos. Obrigado Luis Carlos por disponibilizar tanto conhecimento num lugar só.

Vieram os primeiros campeonatos na Racelan, fiz algumas besteiras no início, mas o pessoal sempre me aconselhou bem para aperfeiçoar a técnica.

1º Campeonato na Racelan, Fórmula 3:

https://youtu.be/1zBlVmBMFTE?t=58

Até o momento eu não conhecia o GTR2, nunca tinha ouvido falar. Só em 2013, fui apresentado ao GTR2 (conhecido como Glorioso), uma experiência única, os gráficos, o som, a variação climática, a simulação, as pistas, era tudo muito FASCINANTE, foi paixão à primeira vista e me impulsionou de vez para este tipo de esporte virtual. Como não lembrar dos setups milagrosos do Fabio Lopes e das corridas sensacionais que tive lá, mesmo não conseguindo nada além de um 8º colocado, algo muito comemorado por mim, pois tinha rompido a barreira do 10º.

Às vezes, é verdade, o GTR2 aprontava conosco:

https://youtu.be/wH2jcbYVs4c

Outras vezes, geravam lembranças inesquecíveis:

https://youtu.be/ztZyuJ4Gzd4

Demorei muito para conhecer o GTR2 (simulador do ano de 2006), mas o tempo que participei pilotando neste simulador foi um dos mais divertidos e de melhor aprendizado que eu tive. Saudades do Glorioso.

Então, tive uma experiência com o Iracing, logo em seguida, prefiro pular esta parte…

Vamos logo ao que interessa: a chegada do que prometia ser o substituto do GTR2, o Assetto Corsa e os campeonatos dele na Racelan. No primeiro campeonato, contando com toda a bagagem que eu adquiri no Glorioso, consegui um belo 8º colocado e adivinhem em que pista, Mugello. A partir desta etapa, comecei a almejar Top5 nas corridas, treinei bastante, li mais alguma coisa sobre setup e naturalmente as chances foram surgindo. Top5 em corrida veio no segundo campeonato e no terceiro campeonato veio o Top 3 em corrida e na qualificação geral, foi o memorável campeonato da Ferrarri P 4/5, um feito incrível para um bração.

Bela briga com o Xicano, que coisa Mugello de novo:

https://youtu.be/fe2r7_dya0w?t=240

Bati na trave de um P1 (1º posição) correndo na série B da GT2, mas o Cavassana me deu uma aula de como fazer uma corrida inteligente.

A minha evolução estava nítida, Top5 já não era problema, agora eu estava correndo atrás da minha primeira vitória. Não esperava que fosse ocorrer neste campeonato (Racelan Godzilla Cup), mesmo com boas atuações nas 3 primeiras provas, tinham pilotos muito difíceis de bater. No entanto, depois de testar Mugello (4º etapa), na segunda-feira, dando 10 voltinhas sem compromisso com um setup que eu peguei na net e de cara fazendo 1:47.2, notei a partir daquele momento que esta seria minha chance de ouro. Treinei muito para corrida e de vez em quando fazia uma qualy em outro servidor para não gerar pânico nos outros corredores, minha melhor volta de qualy foi um 1:46.8 e mantive em segredo, contando apenas para meu companheiro de equipe.

O dia da corrida.

As corridas treino eu estava indo muito bem, constante, sem muitos erros, eu estava confiante de que se não errasse teria uma boa chance de ganhar. Tudo ia muito bem, a esperança da primeira vitória estava a todo vapor, até que no domingo de manhã, no dia da corrida, vejo uma mensagem do Mafra para todos do grupo disponibilizando o setup e o vídeo da pista. O clima fechou, eu me perguntava: Caramba, por que o Mafra que só participou da primeira etapa, foi voltar exatamente nesta corrida, um super ET?! Um pouco preocupado com a situação, fiz questão de divulgar meu tempo de qualy, entrei no servidor e marquei o Top1.

Quando a corrida começou, ou melhor, o qualy, eu não consegui fazer meu melhor tempo, nem cheguei perto, mas um quarto colocado ainda sim era uma boa posição, o único problema era o Jesus atrás de mim porque ele é bastante competitivo, mas eu não queria de forma alguma me envolver com nenhuma disputa no início da corrida.

Estava tudo certo para a corrida, já tinha planejado em minha mente que não cometeria erros, mas que andaria forte. Durante a largada, Mafra se envolveu com o Telmo, eu e o Wallner passamos perigosamente entre eles, eu vi toda a semana de treinos passando diante de meus olhos, escapei ileso, um verdadeiro milagre. Eu não perdi tempo, entrei no vácuo do Wallner e decidi passá-lo na T1 para não desperdiçar tempo atrás de ninguém, dito e feito.

Deste evento em diante, foram 20 voltas de pura emoção com o Carlão me pentelhando, botando pressão, mas eu tentava manter a calma, tinha uma curva que eu sempre tremia o pé quando apertava o freio. Agi da seguinte forma, vou andar rápido, mas não o tão rápido quanto eu posso, não quero me arriscar, então quando o Carlão fazia uma volta boa, eu tentava responder na outra e foi assim até a parada do boxe, paramos na mesma volta e mais um milagre ocorreu, fiz um pit perfeito, Carlão demorou um pouco mais, ganhei uma folga de 7 segundos, logo em seguida, o Carlão rodou. Foi então que eu pensei: hoje é meu dia, o P1 está em minhas mãos, não posso deixar escapar esta. Foi de arrepiar 😛 Foram as 15 voltas restantes mais longas que eu já fiz, tentei correr de forma sábia, apenas controlando o tempo, ainda arrisquei uns hotlaps no finalzinho, mas os pneus estava desgastado.

Quando entrei na última curva, passou todo um filme de todas as corridas que eu fiz (muhahahahaah mentira, eu estava pensando na vitória e quase fiquei na T1, na última volta!). Quando entrei na reta de chegada, foi gratificante, tirei um Dadá do meu ouvido, digo, tirei um elefante das minhas costas. Realmente, todo o esforço valeu à pena. Dedico este P1 a todos os amigos da Racelan que muito me ensinaram deste mundo particular que é o SimRacing, dei muita sorte em encontrar um grupo comprometido com a diversão, com o SimRacing e com os laços de amizade. Vejo vocês na pista.

Everton Menor

2 thoughts on “Relato de um bração até a sua primeira vitória (by Menor)

  1. Vlw Carlão, mas ” os pneus estavam desgastados” Hehehe. Fico imaginando Monza com 34 slots próximo domingo, se lotar, ficará para a história

Deixe um comentário